Oportunidade

16 de ago de 2010

Segunda Feira



Ela acorda assim, sem pensar em nada, se deixando levar pela mesmisse de toda segunda feira.
Dessas que a gente quer ficar na cama mais um pouquinho, dessas que os cobertores nos embrulham como um ninho.
O sol já estava la no céu quando havia se levantado. Mas como estava frio, ela nem deu importancia.
Continou a tentar abrir os olhos enquanto pegava os pães, a manteiga, o leite morno que colocava na mesa com a mesma lerdeza de todas as manhãs de segunda.

Não é bom tomar café sozinho, a menos que se tenha a intenção de contemplar o silencio das manhãs, o bater da xícara no pires, ou o barulho da dança da colhere dentro do copo.  Mas ela tomava seu café, sem a pretenção de fazer daquele dia um dia diferente.

Ela abre o computador, verifica seus email. Responde os mais importantes. Encaminhando outros tantos. E um deles diz:
Bom dia, flor do dia!
Lembre- se de regar as plantas antes do meio dia!
O dia está radiante hoje.

Ficou chocada com tamanha elegancia. Nada de cobrança, pensou ela. poderia ter dito: "Não se esqueça de regar as plantas." Mas não, dizia: "Lembre-se de regar as plantas". E isso soou tão afetuoso.

Ela ficou tão seduzida por aquelas palavras que saiu para o banho, sem perceber que não havia flores para serem regadas. Mas percebeu que o Sol parecia brilhar mais do que nas outras manhãs de segunda.

No banho ela aproveita a água morna que esquenda os pés gelados. Com calma, ela aproveita cada minuto  daquele banho perfumado.

Ela sai e o dia estava tão lindo! As pessoas pareciam mais bonitas e elegantes por causa do frio.
Ela faz tudo que precisava fazer. Conversa com amigos. Trocou as primeiras palavras com um novo vizinho que a meses havia se mudado para o prédio.

É, esse dia era mesmo especial. Ela recebeu um email muito especial.

No fim da tarde, quando retorna a sua casa, tira as roupas cansadas... toma um banho, faz um cappucino. Não existe companhia melhor, e ela sabia disso.
Abre novamente o computador. E ele estava la, aquele email tão educado e gentil.

Quando ela o re-lê,  logo percebe que há um erro. Um erro ortográfico seria menos fatal.  não...não era um erro gramatical ou coisa assim.
Mais embaixo ela viu assinado:

Meu amor, vejo vc mais tarde.
T.M.

E ela percebe o terrível engano que trazia aquele email. Aquela segunda era somente mais uma segunda como todas as outras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar!